AURICULOTERAPIA COMO MEIO DE CONTROLE DA ANSIEDADE EM UNIVERSITÁRIOS EM ÉPOCA DE PROVA


02.05.2011

AURICULOTERAPIA COMO MEIO DE CONTROLE DA ANSIEDADE EM
UNIVERSITÁRIOS EM ÉPOCA DE PROVA

DANIEL FERREIRA BUENO 1, FERNANDO ANTÔNIO DE MELLO PRATI2
1 Acadêmico do curso de fisioterapia do Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre –
RS
2 Professor Mestre do curso de fisioterapia do Centro Universitário Metodista IPA, Porto
Alegre – RS

RESUMO

A auriculoterapia é uma técnica terapêutica da Acupuntura e promove o tratamento das patologias do corpo e da mente. Objetivo: avaliar a eficácia da Auriculoterapia no controle da ansiedade em universitários em época de prova. Materiais e Métodos: estudo experimental não-controlado. O estudo foi realizado no Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre- RS, com universitários do primeiro semestre do curso de fisioterapia da própria instituição.
Para avaliar a ansiedade dos alunos foi utilizada a Escala de Hamilton para a Ansiedade e a Escala Análogo Visual. Foram realizados 3 encontros com o intervalo de uma semana entre estes. No primeiro foi realizado a verificação do nível de ansiedade dos estudantes e aplicação da Auriculoterapia, no segundo foi realizado nova aplicação e no terceiro foi averiguado o grau de ansiedade dos acadêmicos. Os resultados foram analisados através do teste t de Student para amostras pareadas. Resultados: 40 alunos completaram o estudo com idades
variando entre 17 e 42 anos, com média de 20,1 anos (DP= 4,37). Antes do tratamento a média no escore de ansiedade da amostra foi de 18,53 (DP= 9,74) e caiu para 11,30 (DP=8,29) após a Auriculoterapia (p= 0,001). Nenhum aluno foi classificado com ansiedade inexistente antes da intervenção, e após a Auriculoterapia 9 alunos não apresentaram nenhum nível de ansiedade. O valor médio da Escala Análogo Visual antes da intervenção era de 6,33 (DP= 2,35) e diminuiu para 4,38 (DP= 2,22) após o tratamento (p= 0,001). Conclusão: a Auriculoterapia mostrou-se um método eficaz para a diminuição da ansiedade em
universitários em época de prova.


AURICULAR ACUPUNCTURE AS A MEAN OF CONTROL IN ANXIETY – STUDENTS DURING TESTS

The Auricular Acupuncture is a technique of Acupuncture and promotes the treatment of diseases of body and mind. Target: it’s to evaluate the Auricular Acupuncture in order to control the anxiety developed by academic during tests. Material and Methods: experimental study without control. This application was accomplished at the Metodista Universitary Center IPA, Porto Alegre, RS, with academic cursing the first semester in physiotherapy at this Institution. I had used Hamilton Scale for Anxiety and Visual Analogous Scale. I accomplished three meetings with one week among them (brek). At first, the level of anxiety was accomplished, and after I applied the Auricular Acupuncture. At second, a new appliance was done and the third meeting had brought the new anxiety degree. The results were analysed through the T-test of student to the similar samples. Score: 40 students finished this on variable ages between 17 and 40 yers old, as a rule 20,1 yers (SD= 4,37), before the treatment, the rule at the anxiety score was 18,53 (SD= 9,74) and it got shorter to 11,30 (SD=8,29) after the auricular acupuncture (p= 0,001). Every academic had shown anxiety in different level. After this therapy, nine of them didn’t show anxiety. The medium value of Visual Scale before the intervention was 6,33 (SD= 2,35) and it had reduced to 4,38 (SD=2,22) after the attending (p= 0,001). Conclusion: the Auricular Acupuncture became an
affective method to reduce anxiety to students during the hardest written tests. Key-words: Auricular Acupuncture, Anxiety, Physical Therapy. Running Title: Auricular Acupuncture to Anxiety Control

INTRODUÇÃO

A sensação de ansiedade é uma vivência comum de virtualmente qualquer ser humano. A sensação se caracteriza por um sentimento difuso, desagradável e vago de apreensão, freqüentemente, acompanhado por sintomas autonômicos, como cefaléia, palpitações, aperto no peito e leve desconforto abdominal. A ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida, interna, vaga ou de origem conflituosa1. O termo "transtornos de ansiedade” abrange um número de condições, incluindo transtorno do pânico, fobias, transtorno obsessivo-compulsivo, ansiedade generalizada, traumática, e desordens de ansiedade devido a uma condição médica geral 2.
A ansiedade pode ser normal/situacional (p.ex. um estudante frente a uma situação de exame) ou patológica (p.ex. nos transtornos de ansiedade); ser leve ou grave; ser prejudicial ou benéfica; ser episódica ou persistente; ter uma causa física ou psicológica; ocorrer sozinha ou junto com outro transtorno (p.ex. depressão); afetar ou não a percepção e a memória3.
A ansiedade pode afetar a cognição, alterando o aprendizado, produzindo confusão e distorções perceptivas, não apenas em termos de tempo e espaço, mas de pessoas e de significados dos eventos. Essas distorções podem interferir no aprendizado, baixando a concentração, reduzindo a memória e prejudicando a capacidade de associação 1,4.
O tratamento farmacológico da ansiedade freqüentemente é associado a utilização de benzodiazepínicos (ex. Diazepam), antidepressivos tricíclicos (ex. Imipramina) e inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ex. Sertralina). É importante destacar o grande número de efeitos colaterais das medicações ansiolíticas, por exemplo: boca seca, constipação, visão borrada, sedação, alteração da pressão ortostática, disfunção sexual, distúrbios gastrintestinais, insônia e dependência. 5,6.
De acordo com um recente boletim epidemiológico nacional do respeitado Centro de Controle de Doenças e Prevenção dos Estados Unidos, estima-se que cerca de 8.188.000 norte-americanos portadores de problemas relacionados à ansiedade e/ou depressão utilizam a prática da Acupuntura7. Estes dados oficiais salientam o enorme interesse atual pela integração da milenar prática da Acupuntura – Medicina Tradicional Chinesa aos problemas humanos contemporâneos 8,9.
A existência da Acupuntura remonta aos primórdios da civilização chinesa, sendo atribuída sua descoberta ao imperador Amarelo (2797 a.C)10 . Seu uso como prevenção e terapêutica vêm sendo feito há vários milênios; de fato agulhas de pedra e de espinha de peixe foram utilizadas na China durante a idade da pedra ( cerca de 3000 anos a.C)11.
Derivada dos radicais latinos acus e pungere, que significam agulha e punsionar, respectivamente, a Acupuntura visa a prevenção e a terapêutica das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com a inserção de agulhas em pontos específicos chamados acupontos11.
A Auriculoterapia é uma técnica terapêutica da Acupuntura12, se baseia na existência de determinados pontos no pavilhão da orelha, cuja a estimulação se utiliza com fim diagnóstico e terapêutico13, aproveitando o reflexo que a aurícula exerce sobre o Sistema Nervoso Central (SNC). Cada orelha tem pontos reflexo, isto é, pontos auriculares específicos que tem uma correspondência reflexa ao SNC e uma consequente correspondência á região do corpo que deseja ser tratada. Estes pontos correspondem a todos os órgãos e funções do corpo. Ao efetuar a sensibilização desses pontos por agulhas de acupuntura, ou sementes, o
cérebro recebe um impulso que desencadeia uma série de fenômenos físicos, relacionados com a área do corpo, produzindo a cura12.
Uma imagem do corpo se projeta sobre o pavilhão. Ela é bem próxima da imagem de um feto, cuja a cabeça se encontraria embaixo da orelha, no lóbulo, enquanto que as mãos e os pés estariam localizados no seu cume . Face a este arranjo, cada ponto do corpo possui uma correspondência auricular14.

Em 1998 a Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou o documento Acupuncture: Review and analysis of reports on controlled clinical trials, na qual expõe os resultados de 25 anos de pesquisas em renomadas instituições do mundo. Neste documento a OMS afirma que a Acupuntura demonstrou ser eficaz no alívio da dor pós-operatória, náuseas durante a gravidez, náuseas e vômitos resultantes da quimioterapia, e dor dentária. Ela também pode aliviar a ansiedade, desordens de pânico e insônia, e apresenta poucos efeitos colaterais8.
Pesquisas posteriores demonstraram que tanto a Acupuntura Sistêmica como a Acupuntura Auricular são eficazes no tratamento dos transtornos de ansiedade e na ansiedade situacional2.
Acreditamos que a ansiedade normal/situacional (por exemplo, causada por uma prova)3, assim como os transtornos de ansiedade, e a associação de ambas podem trazer repercussões negativas aos alunos, afetando a sua cognição1, podendo prejudicar o seu rendimento acadêmico. Devido a estes motivos nosso objetivo foi avaliar a eficácia da Auriculoterapia no controle da ansiedade em universitários em época de prova.

 

MATERIAIS E MÉTODOS

Estudo experimental não-controlado16. O estudo foi realizado no Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre-RS, cadastrado no Comitê de Ética em Pesquisa sob o número 19 e aprovado pelo mesmo em 22/04/2007. Foram incluídos no estudo alunos do primeiro semestre do curso de Fisioterapia, matriculados nas disciplinas de Anatomia e Histologia/Embriologia. Foram excluídos os alunos que utilizassem medicação ansiolítica ou antidepressiva. Vinte alunos foram considerados perdas amostrais por não comparecerem as aplicações de Auriculoterapia.
Foram convidados a participar do estudo os cento e vinte alunos matriculados nas disciplinas de Anatomia e Histologia/Embriologia no turno da manhã e no turno da noite, destes, sessenta acadêmicos aceitaram participar do estudo, assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, sendo este assinado em duas vias, e uma destas ficando sob o poder do aluno.
O estudo iniciou com 60 alunos, todos submetidos ao tratamento com Auriculoterapia para redução da ansiedade. O tamanho da amostra foi baseado em um estudo previamente publicado onde foram utilizados 55 participantes para avaliar o efeito da Acupuntura Auricular no tratamento da ansiedade17.
Para avaliar o nível de ansiedade em que os alunos encontravam-se foram utilizados os seguintes instrumentos:

- Escala de Hamilton para a Ansiedade (EHA): é um questionário previamente
validado18,19 e traduzido para o português 20. Outras pesquisas já utilizaram a EHA como instrumento para avaliar a eficácia da Acupuntura no tratamento da ansiedade21. Caracteriza-se por ser questionário realizado por um entrevistador, onde ele avaliará e quantificará através de 14 itens do questionário diversos sintomas relacionados à ansiedade. A graduação em cada item representa respectivamente; 0= ausente, 1= suave, 2= moderado, 3= grave e 4= grave,
severamente incapacitante. O escore total vai de 0 a 56, e será assim classificada: escore final inferior a 5 = sem ansiedade; escore final de 5 a 18 = ansiedade leve; escore final de 19 a 30 = ansiedade moderada; escore final acima de 30 = ansiedade grave22.
- Escala Análogo Visual (EAV): é uma escala previamente validada23,24. Já foi
utilizada como instrumento para avaliar a eficácia da auriculoterapia no tratamento da ansiedade25. A principal vantagem da EAV, além do reforço visual e padronização da resposta, é a sua simplicidade26. A escala varia de 0 à 10, e os números a seguir representam os seguintes graus de ansiedade, 0= ausência, 5= moderada, 10= muita. O aluno foi instruído para marcar um xis sobre o número que, segundo a sua percepção, representava o seu nível de ansiedade naquele exato momento.
O estudo organizou-se em 3 encontros com os alunos, todos nas últimas semanas do semestre, período que há grande concentração de provas e trabalhos. Os encontros começaram na segunda semana de Junho. Os três encontros tiveram um intervalo entre estes de uma semana. O primeiro encontro foi realizado um dia antes da prova de Histologia/Embriologia, onde ocorreu a aplicação da EHA, EAV e aplicação da Auriculoterapia para todos os alunos.
No segundo encontro foi realizada apenas a troca das sementes de Auriculoterapia. O terceiro encontro ocorreu um dia antes da prova de Anatomia e foi averiguado o nível de ansiedade dos alunos através da EHA e EAV. A Auriculoterapia foi realizada com sementes, sendo estas sempre aplicadas na orelha direita dos alunos, fixadas nos pontos Shen Men, Rim, Coração e
Ansiedade12.

Para avaliar a eficácia da terapia foram utilizadas as variáveis Escala de Hamilton para a Ansiedade e Escala Análogo Visual, estas comparadas em dois momentos e suas comparações foram realizadas através do teste t de Sstudent para amostras pareadas (correlação linear). O nível de significância estatística foi de p < 0,05. A elaboração do banco de dados e as análises estatísticas foram realizadas através do programa SPSS versão 13.0.


RESULTADOS

De 60 participantes inicialmente selecionados para o estudo houve 20 perdas (33,3%) amostrais por não comparecerem às aplicações do tratamento. Dos 40 alunos, 36 eram do sexo feminino (90%), e 4 eram do sexo masculino (10%). A idade variou entre 17 e 42 anos, com média de 20,15 anos e desvio padrão de 4,37 anos.
 

Através da Escala de Hamilton foi detectado que inicialmente não havia nenhum aluno sem ansiedade, 22 foram classificados como ansiosos leves (55%), 13 como ansiosos moderados (32%) e 5 como ansiosos graves (12,5%). Após a aplicação 9 alunos não apresentaram mais ansiedade (22,5%).

 
A transição na classificação do nível de ansiedade antes e após o tratamento. É demonstrado que 60% da amostra apresentou queda no seu grau de ansiedade, e 37,5% da amostra manteve-se com mesmo nível de ansiedade.

Segundo a Escala de Hamilton, a média no escore de ansiedade da amostra antes da intervenção era de 18,53 (DP= 9,74) e caiu para 11,30 (DP= 8,29) após o tratamento (p=0,001). A Escala Análogo Visual apresentava inicialmente um valor médio de 6,33 (DP=2,35) e diminuiu para 4,38 (DP= 2,22) após as aplicações (p= 0,001).
 
DISCUSSÃO

Muitos estudos que utilizaram a Acupuntura Sistêmica tiveram bons resultados no tratamento da ansiedade, como o de Ulett et AL 27, onde foi relatado que a estimulação elétrica na Acupuntura Tradicional pode resultar em efeitos ansiolíticos nos pacientes com desordens de ansiedade crônicos. Eich et AL 28 demonstraram recentemente que a Acupuntura pode conduzir a uma significativa redução nos sintomas da ansiedade nos pacientes com depressão leve e nos pacientes com ansiedade generalizada. Roccia e Rogora 30 mostraram que a combinação da Acupuntura Tradicional e da Acupuntura Auricular podia produzir o relaxamento nos pacientes com desordens de ansiedade crônicos.
Um recente estudo de revisão sistemática teve como objetivo avaliar a eficácia da Acupuntura para o tratamento de ansiedade e transtornos de ansiedade2. Nesta pesquisa um total de 12 estudos foram selecionados: quatro ensaios clínicos randomizados (ECR) e dois 11 ensaios clínicos controlados não-randomizados (ECC), em pacientes com desordem de ansiedade generalizada ou ansiedade neurose; e seis ECR em pacientes com ansiedade situacional2 .
Nesta revisão foram encontrados alguns estudos onde a Acupuntura foi comparada com a terapia medicamentosa no tratamento da ansiedade, não foi encontrada diferença entre os tratamentos, o que poderia ser devido às intervenções serem igualmente eficazes21,31. Na mesma revisão, pesquisas mostraram bons resultados no tratamento da ansiedade generalizada.
Um ensaio clínico randomizado envolvendo pacientes com diagnostico de depressão leve (N = 43) ou desordem generalizada de ansiedade (n = 13) foi conduzida por Eich et al. Os autores relatam que o grupo Acupuntura mostrou uma melhora clínica significativamente maior em comparação ao grupo controle (P <0,05), após 10 sessões 28. Em outro ensaio clínico randomizado, foi comparado um único tratamento de Acupuntura (30 minutos antes da cirurgia) com uma única dose de Diazepam para Ansiedade pré-operatória relacionada com a cirurgia ginecológica. Nesta ocasião, foi encontrado que a Acupuntura foi mais eficaz que a medicação29.
Esta revisão2 conclui que as primeiras indicações presentes na literatura são de que a Acupuntura, especificamente Acupuntura Auricular, é mais eficaz do que a Acupuntura Auricular em um falso ponto2, como é demonstrado por Wang e Kain, em um estudo onde foi avaliado o efeito ansiolítico situacional da Acupuntura Auricular. Foi um ensaio clínico randomizado sobre o tratamento da ansiedade em indivíduos saudáveis, com 55 pacientes, onde os mesmos foram cegados, o grupo que recebeu Acupuntura Auricular em pontos para relaxamento apresentou uma queda significativa na ansiedade em 30 minutos (p = 0.007) e 12 em 24 horas (p = 0.035) em comparação aos pacientes do grupo com falso ponto de Acupuntura17.
Em outro ensaio clínico randomizado de Wang et al, com pacientes cegados, o efeito ansiolítico da Acupuntura Auricular em 91 pacientes pré-operatórios de cirurgia ambulatorial, demonstrou que os pacientes no grupo Acupuntura Auricular ficaram significativamente menos ansiosos após a aplicação comparado com os pacientes do grupo controle (p = 0.01) 32.
Outros estudos envolvendo o tratamento da ansiedade situacional tiveram resultados significativos. Kober et al pesquisou sobre a ansiedade relacionada com a alta hospitalar. Foi efetuado um único tratamento bilateral de acupressão auricular em um ponto para "relaxamento", onde este foi mais eficaz do que acupressão bilateral usando um falso ponto.
Os resultados foram medidos utilizando uma Escala Análogo Visual25.
Em outro estudo de Wang et al, foi verificado o efeito da Acupuntura Auricular no
tratamento da ansiedade, envolvendo mães de crianças prestes a sofrer uma operação. Sessenta e sete pares de mães e crianças foram incluídas neste ensaio clínico randomizado e cegado. A Acupuntura Auricular para a ansiedade (n = 34) foi comparada com a Acupuntura Auricular em falsos pontos (n = 33), pelo menos 30 minutos antes da indução da anestesia. Tanto a ansiedade materna quanto a das crianças no grupo Acupuntura foi significativamente menor do que no grupo controle33.
O presente estudo foi inovador quanto a amostra a ser tratada para redução da ansiedade. Alguns alunos (n= 5) apresentaram um nível de ansiedade grave antes do tratamento, podendo talvez, apresentarem transtornos de ansiedade, contudo, conseguimos baixar o nível de ansiedade destes estudantes satisfatoriamente. Este achado confirma pesquisas prévias, onde a Acupuntura foi eficaz tanto no tratamento dos transtornos de ansiedade31, como na ansiedade situacional33.
Os achados da presente pesquisa foram positivos, pois foram reduzidos de forma estatisticamente significativa o nível de ansiedade dos acadêmicos através do tratamento com Auriculoterapia. Como é demonstrado nos achados da Escala de Hamilton, a média no escore de ansiedade da amostra antes da intervenção era de 18,53 e caiu para 11,30 após o tratamento (p= 0,001). A Escala Análogo Visual apresentava inicialmente um valor médio de 6,33 e diminuiu para 4,38 após as aplicações (p= 0,001).

CONCLUSÃO

A presente pesquisa foi considerada um estudo preliminar. Deverá ser dado
prosseguimento, havendo uma ampliação do número amostral, bem como a realização de um grupo controle.
Devem ser desenvolvidos estudos adicionais utilizando o ensaio clínico randomizado para avaliar a eficácia da auriculoterapia na redução da ansiedade.
Foi concluído que na amostra em estudo a Auriculoterapia mostrou-se eficaz na
redução da ansiedade.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1- Kaplan HI.; Sadock BJ.; Grebb JA.. Compêndio de Psiquiatria: Ciências do
Comportamento e Psiquiatria Clínica. 7. ed. São Paulo: Artmed, 2006.
2- Pilkington K, Kirkwood G, Rampes H, Cummings M, Richardson J. Acupuncture for anxiety and anxiety disorders - a systematic literature review. Acupuncture In Medicine. 2007; 25(l-2):l-10.
3- Andrade LH; Gorenstein C. Aspectos gerais das escalas de avaliação de ansiedade. Revista de Psiquiatria Clínica. 1998; 25(6): 285-290.
4- Holmes DS. Psicologia dos Transtornos Mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
5- Kaplan HI.; Sadock BJ; Grebb JA. Compêndio de Psiquiatria. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
6- Flaws B; Lake J. Chinese Medical Psychiatry: A Textbook and Clinical Manual – including indications for referral to Western medical services. USA: Blue Poppy Press, 2003.
7- Barnes PM et al. Complementary and alternative medicine use among adults: United States, 2002. Advanced Data.2004;27(343):1-19.
8- National Institute of Healt (NIH). Acupunture: consensus conference. JAMA. 1998; 280(17):1518 –24.
9- Simon GE.; Cherkin DC.; Sherman KJ.; Eisenberg DM.; Deyo RA; Davis RB. Mental health visits to complementary and alternative medicine providers. General Hospital Psychiatry. 2004; 26:171-177.
10- Junior, OD. Pequeno Tratado de Acupuntura Tradicional Chinesa. São Paulo:
Organização Andrei Editora Ltda, 2001.
11- Scognamillo-Szabó, MVR; Bechara, GH. Acupuntura: Bases Científicas e Aplicações. Ciência Rural. 2001; 31(6):1091-1099.
12- Garcia, EG. Auriculoterapia. São Paulo; Editora:Roca, 1999.
13- Salvador, AG et al. Auriculoterapia en pacientes asmáticos. Rev Cubana Med Gen Integr. 1997; 13(2):185-188.
14- Nogier, PMF. Noções Práticas de Auriculoterapia. São Paulo: Organização Andrei Editota Ltda, 1998.
15- Huang LC. Tratamiento Auricular: Formulas y Prescripciones. Estados Unidos. Centro Internacional de Investigación y Entrenamiento em Medicina Auricular, 2002.
16- Pereira MG - Epidemiologia, Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.
17- Wang SM; Kain ZN. Auricular Acupuncture: A Potential Treatment for Anxiety.
Anesthesia and Analgesia. 2001; 92(2):548-553.
18- Hamilton M. The Assessment of anxiety states by rating. British Journal of Medical Psychology. 1959;32:50-5.
19- Shear MK et al. Reliability and validity of a structured interview guide for the Hamilton Anxiety Rating Scale. Depression An Anxiety. 2001;13(4):166-178.
20- Ambulatório de Estudo da Ansiedade (AMBAM). Tradução da Escala de Ansiedade de Hamilton. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 1985. ???
21- Chao-Ying W et al. The electroacupuncture treatment of 20 cases of anxiety disorder. Hunan Journal of Chinese Medicine. 2003; 3:26.
22- Goldberg RT; Hillberg R; Reinecker L; Goldstein R. Evaluation of patients with sever pulmonary disease before and after pulmonary rehabilitation. Desability And Rehabilitation. 2004; 26(11):641-648.
23- Tiplady B; Jackson SHD , Maskrpi VM ; Swift CG. Validity and sensitivity of visual analogue scales in young and older healthy subjects. Age And Ageing. 1998; 27:63-66.
24- Badia X; Herdman M; Roset M; Monserrat S. Feasibility, validity and test–retest
reliability of scaling methods for health states: The visual analogue scale and the time tradeoff. Quality Of Life Research. 1999; 8(4):303-310.
25- Kober A et al. Auricular acupressure as a treatment for anxiety in prehospital transport settings. Anesthesiology. 2003; 98(6): 1328-32.
26- Azevedo AA, Oliveira PM, Siqueira AG, Figueiredo RR. Análise crítica dos métodos de mensuração do zumbido. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. 2007; 73(3) 418-423.
27- Ulett GA; Han S; Han JS. Electroacupuncture: mechanisms and clinical application. Biological Psychiatry. 1998; 44:129-138.
28- Eich H; Agelink MW, Lehmann B, Lemmer W, Klieser E. Acupuncture in patients with minor depression or generalized anxiety disorders - Results of a randomized study. Fortschritte Der Neurologie Psychiatrie. 2000; 68(3):137-144.
29- Uskok M, D'Aquila MG, Buscaglia G, Porro B, Mereto N, Gastaldo P, et al. Acupuncture versus diazepam as premedication in gynecological surgery. Gazz Med llal 1995;154(3):97- 100.
30- Roccia, L; Rogora, GA. Agopuntura e rilassamento. Minerva Medica. 1976; 67(29):1918- 1920.
31- Zhang H; Zeng Z; Deng H. Acupuncture treatment for 157 cases of anxiety neurosis. Journal of Traditional Chinese Medicine. 2003; 23(1):55-6.
32- Wang SM; Peloquin C; Kain ZN.. The Use of Auricular Acupuncture to Reduce
Preoperative Anxiety. Anesthesia and Analgesia. 2001; 93(5):1978-1980.
33- Wang SM; Maranets I, Weinberg ME, Caldwell-Andrews AA, Kain ZN . Parental auricular acupuncture as an adjunct for parental presence during induction of anesthesia. Anesthesiology. 2004; 100(6): 1399-404.